segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Urso de Ouro


QUEM NÃO ESPERA, TAMBÉM ALCANÇA!

URSO DE OURO para a melhor curta, em BERLIM

Em competição com mais 24 filmes de curta metragem, Balada de um Batráquio, da jovem realizadora Leonor Teles (n.1992), ganha um Urso de Ouro na 66ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim, o que por si só constitui notícia mas também motivo de orgulho nacional.

Em 10 minutos, de uma forma divertida, que nos reporta à infância, Leonor Teles dirige o nosso olhar para uma prática, comum em Portugal, que consiste na exposição estratégica, por proprietários de estabelecimentos comerciais, de sapos de cerâmica, com o objetivo de evitar a entrada de membros da comunidade cigana.

Leonor Teles, que tem raízes ciganas por parte do pai, diz que o filme "não apresenta só uma problemática, mas tenta, de certa forma, combatê-la", uma vez que a própria realizadora sentiu a "urgência" de destruir vários desses sapos em frente à câmara.

Mais do que um filme premiado, Balada de um Batráquio é seguramente um documento de interesse didático para as nossas aulas, que nos pode ajudar a refletir sobre os perigos do etnocentrismo e dos comportamentos xenófobos, mas também das superstições e das crenças enquanto marcas identitárias de uma cultura que alimentamos e fazemos nossa.

Ficamos à espera para ver, pensar e dar a pensar!

professora Manuela Martins


Sem comentários:

Enviar um comentário