sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Novidade na Biblioteca: «O Grande Livro dos Oceanos», de Yuval Zommer


Porque é que os caranguejos andam de lado? As alforrecas são feitas de gelatina? Porque é que os pinguins não congelam? Na mesma linha editorial do "O Grande Livro dos Insetos" e "O Grande Livro dos Animais", este álbum, a cores e de grande formato, incentiva as crianças à leitura, na procura de respostas para perguntas fantásticas, que tantas vezes ouvimos dos mais pequenos, aguçando-lhes a curiosidade pelo fantástico mundo da fauna e flora dos oceanos.

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Curta-metragem «Pedro e o Lobo»



Pedro e o Lobo é uma história infantil contada através da música. Foi composta por Sergei Prokofiev em 1936, com o objectivo pedagógico de mostrar às crianças as sonoridades dos diversos instrumentos. Cada personagem da história (o Pedro, o lobo, o avô, o passarinho, o pato [ou pata, em algumas versões], o gato e os caçadores) é representada por um instrumento diferente.
 Suzie Templeton realizou uma adaptação moderna do conto de Pedro e o Lobo, recorrendo a animação stop-motion. É incomum na sua falta de qualquer diálogo ou narração, sendo a história apresentada unicamente com imagens e som, interrompida por períodos de silêncio sustentado. A banda sonora é executada pela Philharmonia Orchestra de Londres e o filme teve a sua estreia com um acompanhamento ao vivo da orquestra no Royal Albert Hall em Londres. O filme ganhou diversos prémios, incluindo o Óscar de Melhor Curta-Metragem (animação) em 2008.

Sinopse:
Pedro é um rapaz discreto, solitário, impedido de ir à floresta pelo seu avô protector, tendo como seu único amigo um pato. Quando um lobo ameaça o seu amigo pato – bem como o gato gordo do seu avô e um pássaro com a asa partida de que Pedro se tornou amigo – Pedro corajosamente tenta apanhar o lobo. O Avô, o povo da aldeia e os caçadores que têm antagonizado Pedro figuram todos no desenlace final.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Novidade na Biblioteca: «120 Batimentos por Minuto» (DVD), de Robin Campillo



Paris, início da década de 1990. Um grupo de activistas esforça-se por captar a atenção da opinião pública para a epidemia de sida que, durante os últimos anos, causou a morte a milhares de pessoas pertencentes à comunidade homossexual. Face à inacção do Governo francês, que nada fez para prevenir o alastrar do VIH, alguns jovens criam o Act Up, para promover acções não-violentas em defesa da prevenção e do tratamento da doença. É neste contexto que Nathan, um jovem que se junta ao movimento, conhece Sean, um dos militantes mais fiéis e proactivos do Act Up... "120 Batimentos Por Minuto" foi o filme-sensação da 70.ª edição do Festival de Cinema de Cannes, onde recebeu o Grande Prémio do Júri. A realização fica a cargo de Robin Campillo ("Les Revenants", "Eastern Boys"), segundo um argumento seu e de Philippe Mangeot, presidente da Act Up francesa nos anos 1990-

Trailer:

Roteiro de História da Língua Portuguesa | e-Book



Fonte | Download |

Resumo:

Em linha com o termo náutico, este Roteiro aponta percursos, indica etapas e salienta as principais mudanças da língua, possibilitando a posterior exploração autónoma de tópicos menos desenvolvidos ou daqueles que, em virtude da finalidade da obra, não foram contemplados. “[…] a história da língua portuguesa, enquanto património, interessará a um público alargado, incluindo estudantes de Linguística, mas também profissionais e investigadores de várias áreas – historiadores, sociólogos, antropólogos, jornalistas, profissionais das indústrias da cultura, cientistas de diversos domínios – e bem assim a quantos, simplesmente, tenham curiosidade a respeito da história de um dos idiomas mais falados no mundo.

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Novidade na Biblioteca: «Moby Dick», de Herman Melville

O capitão Ahab impõe à sua tripulação a concretização do seu maior desejo – destruir a grande baleia branca. Sob o seu rígido comando a missão comercial do Pequod é alterada tornando-se uma missão de vingança.
Para Ahab, o monstro que destruiu o seu corpo não é uma criatura, mas sim o símbolo de algo desconhecido.
Sem medo das catástrofes naturais, dos maus presságios ou mesmo da morte, Ahab impele o seu navio em direcção ao perigo.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Novidade na Biblioteca - «Nós, os Afogados», de Carsten Jensen


Aclamado imediatamente na Europa como sendo um clássico, Nós, os Afogados narra a história da cidade portuária de Marstal, cujos habitantes se fizeram ao mar e navegaram pelo mundo inteiro a partir de meados do século XIX até ao final da Segunda Guerra Mundial. Aqui contam-se as histórias de navios afundados e destruídos em guerras, de lugares de horror e violência que continuam a fascinar todas as gerações; aqui encontramos canibais, sonhos proféticos e sobrevivências miraculosas. O resultado é uma saga apaixonante, repleta de sabedoria e humor, de pais e filhos, das mulheres que eles amam e deixam para trás e da promessa assassina dos mares. Em 1848, um grupo de navegadores dinamarqueses deixa a ilha de Marstal para lutar contra os Alemães. Nem todos regressam, e os que regressam nunca mais serão os mesmos. Entre eles, encontra-se Laurids Madsen, que não tarda a escapar de novo para o anonimato do mar alto. Quando o seu filho Albert atinge a maioridade, parte à procura do pai desaparecido numa viagem que o levará por todo o globo. Da Terra Nova às plantações da Samoa, da Tasmânia às costas geladas do norte da Rússia, esta história estende-se por quatro gerações, atravessando duas guerras mundiais e um século de história.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

O Mito do Minotauro


Conhecer a história da Grécia Antiga, conhecer o pensamento dos gregos da época Clássica, conhecer o Império do Pensamento que foi a civilização grega, ajuda-nos a conhecer a nós próprios e à civilização europeia.
Os gregos explicavam muitas ações do comportamento humano através de mitos.


Depois de ver atentamente o documentário sobre o Mito do Minotauro 
tente explicar o que significado para a História e/ou para o  ser humano de:
Minotauro
Teseu (Herói)
Pasífae – esposa do rei Minos
Minos – rei de Creta
Labirinto
Atenas
Creta


Domingos Costa

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Novidade na Biblioteca: «No Princípio Estava o Mar», de Gonçalo Cadilhe


Este livro recolhe as melhores crónicas que Gonçalo Cadilhe escreveu ao longo de 12 anos para a revista Surf Portugal. No entanto, o que eram inicialmente textos de surfista para surfista tornaram-se, com o tempo, objectos de culto lidos e comentados não apenas por corredores de ondas mas também por namoradas cúmplices, pais perplexos, professores coniventes e vários outros segmentos da sociedade fascinados com o sistema de valores recolhido no mar e sistematizado no papel pelo autor. No Princípio Estava o Mar é um convite a aproveitar o oceano, a desfrutar plenamente a Natureza, a dar corda livre aos sonhos de errância e juventude, a não deixar para amanhã o que se pode viver hoje.

Novidade na Biblioteca - «Homo Deus - História Breve do Amanhã», de Yuval Noah Harari


Chegámos ao próximo passo evolucional: Homo Deus. Homo Deus explora os projetos, sonhos e pesadelos que darão forma ao século XXI — desde o vencer da morte à vida artificial. Sucessor do bestseller internacional Sapiens: História Breve da Humanidade, coloca as questões fundamentais: para onde seguir a partir daqui? Como proteger o mundo dos poderes destrutivos do ser humano? A guerra desapareceu. É mais provável cometer suicídio do que morrer num conflito armado. A fome está a desaparecer. É mais alto o risco de obesidade do que de fome. A morte tornou-se um simples problema técnico. Não alcançámos a igualdade — mas estamos perto de alcançar a imortalidade. A história começou quando os homens inventaram os deuses e terminará quando os homens se transformarem em deuses. O que nos reserva o futuro?

 CRÍTICAS DE IMPRENSA «De uma lucidez invejável (e alarmante), descreve os enormes desafios que temos pela frente, enquanto espécie, à medida que a tecnologia genética, a inteligência artificial e a robótica alteram profundamente as nossas relações humanas e com outras espécies. Uma leitura ainda mais voraz e mais importante do que a do seu já excelente Sapiens.» Kazuo Ishiguro, escritor e jurado do Guardian Books of the Year 2016
«Harari é um escritor excecional, que parece ter sido escolhido pelas musas como veículo do zeitgeist… Um livro fascinante.» Times Literary Supplement

A Era da Curadoria: O que Importa é Saber o que Importa

Hoje em dia temos acesso a todo tipo de informação. O que fazer com isso? Quantidade de informação nos torna mais sábios? Aumenta nosso conhecimento? Num momento em que todos podem ser leitores e autores, como selecionar no meio do caos aquilo que tem relevância e credibilidade? É preciso saber selecionar a informação que faz sentido para cada um de nós, pois o que importa é saber o que importa. Por isso, a curadoria é fundamental. O filósofo, Mario Sergio Cortella abordará o tema «O que importa é saber o que importa: a era da curadoria.»

terça-feira, 15 de maio de 2018

Dia Internacional dos Museus e Noite dos Museus


Na próxima sexta-feira, dia 18 de maio, comemora-se o Dia Internacional dos Museus e, como em anos anteriores, é possível visitar gratuitamente uma série de museus.
As entradas serão gratuitas em todos os Museus, Palácios e Monumentos tutelados pela DGPC: - no dia 18 de maio, no horário normal de funcionamento, exceto nos seguintes casos: no Museu Nacional de Arqueologia a gratuitidade será das 10h00 às 23h00 e no Palácio Nacional de Mafra das 9h30 às 17h30 (última entrada às 16h45) e das 20h00 às 23h00; - no dia 19 de maio, a partir das 18h00, exceto no Museu Nacional dos Coches em que a gratuitidade será das 10h00 às 24h00 (última entrada às 23h30). 
No dia 19 de maio, os seguintes serviços estarão encerrados após o horário normal de funcionamento: Convento de Cristo, Mosteiro da Batalha, Mosteiro de Alcobaça, Mosteiro dos Jerónimos, Museu Monográfico de Conímbriga – Museu Nacional, Palácio Nacional de Mafra, Panteão Nacional e Torre de Belém.

As nossas apps

As  nossas apps

Descarregue aqui as nossas apps para dispositivos Android:
(Clique na imagem ou leia o código com a câmara do dispositivo)

Obras de Camilo Castelo Branco


Obras de Fernando Pessoa

Obras de Eça de Queirós


Como realizar trabalhos

segunda-feira, 16 de abril de 2018

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Conversa do Desassossego


O desafio foi lançado pela professora de Português, Teresa Lucas: descobrir o Livro do Desassossego, de Bernardo Soares, visionar o Filme de João Botelho, com o mesmo nome e, de olhar em olhar, fragmento em fragmento, partilhar leituras, sensibilidades, reflexos, projeções, porque, como refere o poeta: «Este livro é um só estado de alma, analisado de todos os lados, percorrido em todas as direções».
Professores e alunos aceitaram o desafio da viagem que, apesar de conjunta, exigia de cada um esforço e vontade de enfrentar as intempéries em que as palavras do poeta sempre nos lançam, desassossegando-nos.
E lá fomos navegando pelas páginas do Livro, pelos fragmentos fílmicos, procurando vencer as nossas perplexidades e hesitações, até nos sentarmos à conversa com o realizador João Botelho que, como nós, também caiu em desassossego.

A conversa decorreu no auditório da Leal, no passado dia 7 de fevereiro, com alunos e professores do 12.º ano, num ambiente informal e dialogante, permitindo uma compreensão partilhada do Livro ao Filme, que o mesmo é, no dizer do poeta: «Dar a cada emoção uma personalidade, a cada estado de alma uma alma.», num contínuo Desassossego.

Manuela Martins

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

E se Rio de Mouro Tremer?

É já na próxima quarta-feira que vamos discutir na escola o risco sísmico, numa atividade do projeto Ciência, Biblioteca e Cidadania. Para o efeito, contaremos com a presença do geólogo Pedro Emanuel Fonseca, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e do escritor Domingos Amaral, autor de Quando Lisboa Tremeu. 
A sessão decorrerá no auditório da ESLC, entre as 10h e as 11h30, e destina-se a turmas do ensino secundário.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Aula aberta sobre arte urbana

No próximo dia 21 de fevereiro, pelas 13h30, vai decorrer no auditório da escola uma aula aberta sobre arte urbana. onde serão abordadas as origens e as tendências atuais deste que é um dos mais dinâmicos movimentos artísticos do século XXI. A entrada é livre mas limitada à lotação do auditório.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

A Biblioteca recomenda: «O Museu da Inocência» de Orhan Pamuk

Orhan Pamuk, escritor turco vencedor do Prêmio Nobel da Literatura em 2006, escreveu este Museu da Inocência em 2002, uma das obras que certamente o catapultaram para o reconhecimento da Academia Nobel.
Neste livro, Pamuk conta a história de Kemal, herdeiro de uma família rica de Istambul, e da sua paixão obsessiva por uma familiar afastada, Fusün, paixão que o levará, ao longo de décadas, a colecionar objetos que pertenceram à sua amada e com os quais criará um museu.
Paralelamente, o autor abre-nos uma janela para a história da Turquia nas últimas décadas do século XX e inícios do século XXI e apara uma Istambul meio ocidental e meio tradicional, com a sua emergente modernidade e a sua vastíssima história e cultura.

Aqui fica um excerto de uma obra que a Biblioteca recomenda:
«Foi durante estes dias, os mais sombrios da nossa história, e sobretudo durante ps últimos meses de 1979, que roubei mais coisas da casa dos Keskins. Por esta altura, aqueles objetos já não eram lembretes de momentos da minha vida, não eram apenas recordações. Para mim, formavam parte fundamental desses momentos. Por exemplo, as carteiras de fósforos que podem ver aqui no Museu da Inocência: Fusün tocou em cada uma delas, ali deixando o perfume das suas mãos e ténue aroma da água de rosas. Tal como acontece com tantos outros objetos em exibição no meu museu,sempre que segurava nas mãoes uma destas carteiras de fósforos, nos apartamentos Merhamet, consguia reviver o prazer de partilhar a mesa com Fusün e de a olhar nos olhos. Mas, mesmo antes disso, sempre que levava ao bolso uma carteira de fósforos, fingindo não de mdar conta de o ter feito, havia uma outra razão para me alegrar: podia não ter “ganhado”a mulher que amava tão obsessivamente, mas alegrava-me o facto de ter conseguido tirado um pedacinho dela e guardá-lo para mim, por pequeno que fosse.»

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Filme do Desassossego

No âmbito do Plano Nacional de Cinema, vão decorrer amanhã, 24 de janeiro, duas exibições do filme de João Botelho baseado no Livro do Desassossego de Fernando Pessoa. As sessões terão lugar às 10h e às 15h15 e destinam-se a turmas do 12.º ano. Esta atividade será complementada com a visita do realizador à escola, que ocorrerá no início do próximo mês.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Mguel Real na escola



Recebemos na passada quarta-feira na escola o escritor Miguel Real, visita que esteve agendada para finais de novembro mas que motivos de força maior nos obrigaram a adiar para este início de janeiro. 
O sebastianismo de hoje e de outrora, a par da persistência do mito no imaginário português, foram o tema para cerca de uma hora e meia de conversa com m auditório cheio de professores e alunos.
Fica aqui um pequeno registo em vídeo da intervenção do Miguel Real.


Saber mais sobre Miguel Real

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Catálogo coletivo das Bibliotecas Escolares do Agrupamento



Já pode consultar online o catálogo da Biblioteca.
Para lá do catálogo da escola secundária, poderá também consultar o catálogo de outras escolas do agrupamento e, caso pretenda, fazer reserva de um exemplar para requisição.

Novidades na Biblioteca

Eis alguns títulos novos que podes encontrar nas estantes:

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Concurso Media@ção

O concurso Media@ção, uma iniciativa promovida pela Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e pela Secretaria Geral da Presidência de Conselho de Ministros (SGPCM) em parceria com a Comissão Nacional da Unesco (CNU), a Direção-Geral da Educação (DGE), a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), a Fundação PT (FPT) e o Plano Nacional de Leitura 2027 (PNL2027), tem como objetivo contribuir para fomentar na comunidade educativa, particularmente nos alunos, o uso crítico, responsável e criativo dos media, bem como o exercício da liberdade de expressão.
Podem candidatar-se alunos de escolas públicas, privadas e cooperativas, de ensino básico e secundário, bem como de escolas profissionais.
Para a categoria de 3.º ciclo do ensino básico e secundário o tema é“como lidar com as notícias falsas (fake news)” e o trabalho a apresentar deverá ter caráter narrativo, podendo ser apresentado sob a forma de vídeo, podcast ou spot publicitário.
Para saberes  mais, consulta o regulamento ou dirige-te à biblioteca.



Concurso Nacional de Leitura - 12.ª edição 2017-2018

Está a decorrer a 12ª edição do Concurso Nacional de Leitura 2017-2018.
Este concurso é promovido pelo Plano Nacional de Leitura – em articulação com a RTP, com a Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas (DGLB), com a Rede das Bibliotecas Escolares e com o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua (Camões, IP) – e tem como objetivo estimular o treino da leitura e desenvolver competências de expressão escrita e oral. As obras selecionadas sobre as quais incidirá a prova a realizar na Escola Secundária Leal da Câmara por todos os alunos interessados do Ensino Secundário (Cursos Regulares e Cursos Profissionais) são as seguintes:
  • Cruz, Afonso O pintor debaixo do lava-loiças. Editorial Caminho
  • Kafka, Franz. A metamorfose. Editorial Presença

O Regulamento da 12.ª edição do CNL pode ser consultado aqui.
Para outros esclarecimentos, contactar o professor Bibliotecário, o professor Carlos Pinheiro, ou a professora Teresa Lucas.
Vem ler estas obras, partilhar as tuas impressões com os teus colegas…
Aparece na Biblioteca à 3.ª e à 6.ª feira, entre as 10h00 e as 11h30