sexta-feira, 27 de abril de 2012

Gonçalo M. Tavares (2)




Após  aqui  termos divulgado alguns dos títulos que compõem a sua  vasta bibliografia, bem como parte dos prémios literários - nacionais e internacionais -  granjeados pelo  autor, a BE/CRE confirma a visita  do escritor Gonçalo M. Tavares à Escola,  no dia 8 de maio, Terça-feira, às 15:15.

O encontro realizar-se-á no Auditório  e terá a duração de 60 minutos.

A ficha de inscrição na atividade encontra-se afixada na Sala de Professores.

Artes e Multimédia

(clique para ampliar)







Mais um ano quase a chegar ao fim, mais uma demonstração do saber de muito esforço feito.

Mostramos trabalhos cujos autores os viram crescer e emancipar-se de si mesmos.   Alguma frustração, algum desencanto por vezes mas  na maioria dos casos uma cada vez maior  vontade de fazer melhor, um cada vez maior orgulho posto naquilo que se é capaz de fazer, naquilo que  se ganhou num percurso que está prestes a terminar.
É um fim de ciclo que se aproxima.
A semente está na terra, deixe o Homem que ela germine.


professora Arminda Bernardino


sexta-feira, 20 de abril de 2012

Felizmente Há Luar


Em resposta ao desafio lançado pelos professores de Português do 12º ano, o Grupo de Teatro Reticências encenou a peça de Luis de Sttau Monteiro, Felizmente Há Luar. O trabalho foi apresentado no auditório do Centro paroquial de Rio de Mouro, nos dias 14, 15 e 18 de abril.
________________________________
Portugal, 1817. Com o rei e a corte  refugiados no Brasil, o povo vive um ambiente de miséria e medo.
Os "senhores do Rossio", atentos ao sinais de uma conspiração, calam as vozes que se levantam contra o poder absoluto que exercem, sustentado e reforçado pelo domínio  inglês. As forças policiais proibem os ajuntamentos, os delatores movimentam-se para colher informações a troco de dividendos. Todos apontam um nome como o cabecilha do movimento de contestação que convém eliminar - o General Gomes Freire de Andrade. Com a sua prisão acentua-se o desânimo e desesperança do povo. Mas Matilde, a "mulher coragem" move montanhas para salvar o seu homem, suplica, confronta, aponta o dedo às consciências.  E os poderosos apressam-se, condenando sem provas e querem uma morte que sirva como exemplo, que iniba qualquer vontade de contestação. O silêncio é conveniente! E a morte decorrerá de noite, há luar... Ninguém deixará de olhar... Mas Matilde prepara-se para este momento e não permitirá que a morte do seu homem seja em vão... O luar, o clarão da fogueira, apontam o caminho para a Libertação. Felizmente Há Luar!

Portugal, século vinte, década de 60. Miséria, medo, opressão, vozes caladas. Mas há quem resista, há vontades que não se submetem. A canção ganha força! A mensagem vai passando, as vontades crescem e muitos,  unidos, preparam a madrugada da Libertação!

professora Fátima Monteiro



Fichas artística e técnica, aqui.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sugestão



Eric Toledano e Olivier Nakache, Intouchables, 2011, 112 min.


Há filmes assim!
Filmes que são como uma lufada de ar fresco num dia de muito calor. Filmes que nos fazem rir, chorar, pensar, encontrar... Filmes que ampliam o nosso mundo, partilhando mundos de sentido que podiam ser nossos ou não... Filmes que não podemos deixar de partilhar! Este é indubitavelmente um desses filmes, por isso aqui fica uma sugestão do Clube de Cinema  para viver melhor o fim de semana que se aproxima.
professora Manuela Martins

Sinopse: Na sequência de um acidente de parapente que o deixou tetraplégico, Philippe (François Cluzet), um aristocrata francês de meia-idade, decide contratar alguém que o apoie nas suas rotinas diárias. É então que conhece Driss (Omar Sy), um jovem senegalês de um bairro problemático, recém-saído da prisão. Driss é, segundo todas as aparências, alguém totalmente inadequado à função, porém Philippe contrata-o. Assim, com o passar tempo, irão encontrar aspetos comuns nas suas vidas tão díspares, nascendo entre eles uma amizade que, apesar de improvável, se tornará mais profunda a cada dia.

Realizado por Olivier Nakache e Eric Toledano, uma comédia dramática baseada no livro autobiográfico "Le Second Soufflé", escrito por Philippe Pozzo di Borgo. O filme, o mais visto em França em 2011, é já a película francesa mais rentável de sempre. O dinheiro angariado com a venda dos direitos da adaptação do livro foram doados a uma associação de ajuda a portadores de deficiência motora.

Fonte: Cinecartaz, Público.

Jorge Buescu



Acha que a matemática é um assunto árido e encerrado, vista hoje sobretudo como instrumento de tortura dos alunos?
Desengane-se! A matemática é acima de tudo uma extraordinária aventura intelectual - empolgante, dinâmica, fervilhante de ideias e em permanente construção. Há hoje mais matemáticos ativos do que em toda a História da Humanidade no seu conjunto. A matemática vive hoje uma verdadeira Idade de Ouro.
 
 
Como funciona o Google? Como é que uma megacolaboração global por meio de um blogue conseguiu demonstrar um resultado matemático? Como é que um  resultado abstruso em teoria de grupos pôde inspirar um físico a explicar o universo, nos intervalos em que não fazia surf no Havai? Qual é a melhor altura para deixar de procurar a mulher dos seus sonhos e assentar? É possível organizar  um conjunto de casamentos por forma a que ninguém tenha (pelo menos racionalmente!) tentações de casos extramatrimoniais? Qual foi a verdadeira contribuição da matemática para a crise financeira que vivemos?
 
 
Estas são algumas questões abordadas num livro que, em dúzia e meia de curtos ensaios, explica de uma forma divertida mas rigorosa como é que uma abordagem matemática do mundo enriquece a sua compreensão - e mais geralmente, a compreensão da Vida, do Universo e de Tudo o Resto.

Ibidem.


O  livro está disponível na biblioteca.